Remembering the kanji e o método Heisig

Muitos dos leitores do Língua Japonesa já devem conhecer o Remembering the kanji e o método heisig, mas como uma boa parte dos leitores deste site é composta por estudantes de japonês em nível básico, resolvi tentar ajudar escrevendo sobre o assunto.

O Remembering the Kanji é um livro escrito por James Heisig, onde o autor ensina um modo muito interessante de aprender os símbolos japoneses, proporcionando um meio de nunca esquecê-los.Remembering the kanji e o método Heisig

Quem é James Heisig?

James W. Heisig é um filósofo que publicou vários livros na área da filosofia. Ele ficou famoso no mundo da língua japonesa por ter escrito a série de livros Remembering the kanji e Remembering the kana. Onde ensina como aprender kanjis de um modo completamente diferente das escolas japonesas.

Eu soube que atualmente James Heisig vive em Nagoya no Japão e escreveu uma série de livros com o mesmo tema, mas dessa vez ensinando a aprender chinês. O nome do livro é Remembering the Hanzi.

Para os curiosos de plantão, o Remembering the kana ensina todos os símbolos do alfabeto japonês, enquanto o Remembering the kanji ensina cerca de 2.000 kanjis usados no dia-a-dia e em nomes próprios japoneses. Por fazer muito sucesso entre estudantes de japonês, seu método de ensino ficou conhecido como método Heisig.

Como funciona o Remembering the kanji e o método Heisig?

O Remembering the kanji e o método Heisig estão centrados em três pontos principais, memória imaginativa ou mnemonics e ideogramas, os símbolos japoneses que representam idéias.

Cada um destes elementos fornece informações sobre a composição, ordem de escrita e significado dos símbolos japoneses. Quando trabalhamos estes três elementos, fica muito mais fácil aprender e não esquecer nenhum kanji estudado. Observe como isso acontece:

Conheça o livro do James Heisig clicando aqui!

O remembering the kanji e a memória imaginativa

Quando o autor do Remembering the kanji fala sobre memória imaginativa, ele se refere ao uso da memória visual trabalhando em conjunto com a imaginação, ou seja, memória imaginativa significa ver mentalmente aquilo que você está imaginando. Complicado? Nem tanto…

Faça um exercício simples, imagine uma vela acesa num lugar escuro. De repente surgem dois braços da vela e se forma uma boca bem no meio dela.

Em seguida você percebe que ela está com raiva porque você tentou soprá-la para apagar a chama que estava acesa.

A vela parte para cima de você mexendo os braços brancos feito louca, mas você tinha um extintor de incêndio e o usa, apagando a vela e deixando-a paralisada.

Você conseguiu imaginar e ver a cena acima em sua mente. Não precisa ser uma imagem nítida, o mais importante é ter entendido o funcionamento desta parte do método.

Os mnemonics do rememebring the kanji

A memória imaginativa por si mesma não diz muita coisa sobre kanjis ou símbolos japoneses.Mas se criarmos imagens ou histórias relacionando um símbolo japonês com imagens que já conhecemos, podemos facilmente lembrar do kanji que estudamos e até saber a diferença dele para outros símbolos semelhantes.

Relacionar uma imagem com um símbolo japonês é mais simples do que parece. Basta transformar o símbolo numa imagem semelhante ao seu significado ou simplesmente criar uma cena, ou história curta, onde o símbolo se relaciona com seu significado. Desse modo, ao ver o significado, lembramos do kanji e ao ver o kanji lembramos do significado.

Os ideogramas do remembering the kanji

Como a maioria dos leitores deve saber, os símbolos japoneses foram criados para funcionar como ideogramas, símbolos representando idéias.

Sendo assim, muitos kanjis são semelhantes a imagem de seu significado. E isso facilita muito na hora que criar as histórias e memorizar os significados de um kanji. Observe a imagem abaixo:

método Heisig e o Remembering the kanji

Melhorando ainda mais o aprendizado, o método Heisig divide um kanji em vários elementos que serão usados para compor outros elementos.

É como se o autor do livro criasse vários personagens (elementos ou partes dos kanjis) para compor a história da memória imaginativa e associar o kanji com seu significado.

Pensando dessa forma, a ordem para aprender os símbolos japoneses muda, não sendo mais necessário aprender seguindo a ordem do Jouyou Kanji ou da escola japonesa.

Como exemplo do livro, você iria aprender primeiro os símbolos   e  para depois aprender , usando os dois primeiros símbolos como elementos ou personagens do kanji .

Quais as vantagens do Remembering the kanji ou método Heisig?

Acredito que as vantagens do método Heisig já ficaram um pouco claras no artigo, mesmo assim vou destacá-las abaixo.

  • Usando a memória imaginativa torna o aprendizado de ideogramas muito mais simples, evitando confundir símbolos japoneses semelhantes ou esquecer um kanji já estudado.
  • O método pode ser personalizado, permitindo que o estudante crie suas próprias histórias e associações, tornando o método Heisig muito mais eficiente.
  • O método Heisig torna o estudo muito mais divertido, diminuindo o tédio de estudar muitos símbolos através da simples repetição.
  • Aprender kanjis usando o Remembering the kanji ou o método Heisig é comprovadamente o método mais rápido para aprender os símbolos japoneses sem efeitos colaterais para o estudante.
  • O livro Remembering the kanji ensina mais kanjis do que os apresentados no Jouyou kanji, sendo uma boa escolha como guia de estudos.

Quais as desvantagens do Remembering the kanji e o método Heisig?

Como todo método de estudos, o método Heisig também possui suas desvantagens, mas isso não prejudica o aluno que deseja aprender kanjis usando o livro Rememebering the kanji ou simplesmente usar o método Heisig, realizando suas próprias associações imaginárias.

  • Exige muito esforço mental para imaginar associações e histórias com os kanjis. Para algumas pessoas, esse esforço pode ser cansativo.
  • O método Heisig e o Remembering the kanji estão focados em associar os ideogramas com seu significado (apenas um significado). O método e o livro não ensinam pronúncias nem se focam na escrita, que devem ser aprendidos paralelamente.

Conclusão

Apesar do Remembering the kanji e o método Heisig não ensinar qualquer tipo de pronúncia, isso não prejudica em nada o estudante de japonês.

A minha experiência com estudo da língua japonesa me mostrou que é muito mais fácil aprender a pronúncia dos símbolos na medida em que aprendemos novas palavras, do que tentar decorar todas as pronúncias de um kanji isoladamente.

Da mesma forma que aprendemos as pronúncias gradativamente, com o tempo também aprendemos os outros significados de um mesmo símbolo, observando que a mudança de contexto provoca a mudança do significado dos kanjis.Kanji: Imaginar Para Aprender

Por fim, para aqueles que conhecem um pouco de inglês, recomendo fortemente a leitura do livro Remembering the kanji e Remembering the kana. Para aqueles que não sabem inglês, existem versões deste livro em espanhol e português chamado de Kanji: Imaginar Para Aprender.


Eles são Kanji para recordar e Kana para recordar. Até agora, este método funcionou muito bem comigo e com muitos estudantes de japonês.

Pesquise os preços de outros livros relacionados em português