Como usar o alfabeto japonês

No início de seus estudos, muitas pessoas possuem dúvidas sobre como os textos em japonês são escritos usando hiragana, katakana e kanjis.

Embora algumas dúvidas não sejam muito fáceis de esclarecer, vou tentar sanar muitas delas neste pequeno artigo.

Um alfabeto japonês para cada finalidade

Uma das coisas que precisamos ter em mente quando começar a estudar japonês, é o fato dos textos serem escritos com todos os alfabetos japoneses misturados. Isto significa que os textos em japonês são escritos com hiragana, katakana e kanjis juntos.

Apesar dessa mistura, escrever e ler um texto em japonês não é algo tão complicado quanto parece. Uma vez que entendemos o objetivo de cada alfabeto japonês, podemos ler e entender facilmente um texto escrito em japonês.

Quando usar hiragana nos textos em japonês

Como já sabemos, o hiragana é um alfabeto fonético que foi criado para escrever palavras nativas da língua japonesa. Sendo assim, ele só pode ser usado para escrever palavras que tiveram sua origem no Japão, e podem ser usados nos casos abaixo.

Use hiragana no lugar de kanjis desconhecidos

常用漢字 é uma lista de símbolos japoneses de uso comum e que todo japonês deve conhecer. Isso significa que, se você pretender ler e escrever textos em japonês, precisará aprender todo o 常用漢字.

Além do 常用漢字, existem outros milhões de símbolos japoneses. Por causa disso, quando escrevemos um texto para alguém, precisamos imaginar se a pessoa que vai ler o texto conhece os kanjis que estamos utilizando. Se a outra pessoas não os conhece, é melhor escrever as palavras em hiragana.

Lembre-se que o inverso também funciona. Quando você ficar na dúvida sobre o uso de determinado kanji, escreva em hiragana que todos irão entender. O objetivo aqui é usar o hiragana para substituir kanjis desconhecidos e evitar problemas de comunicação. Por exemplo, as palavras 東京 e とうきょう significam a mesma coisa.

Use hiragana para escrever partículas

As partículas japonesas são um recurso gramatical que informa a função de cada parte de uma frase. Sendo assim, existe uma partícula para indicar quem é o sujeito da frase, para indicar o predicado ou objeto direto e indireto, para indicar a direção de uma ação e etc.

Na maioria dos casos, as partículas não possuem uma tradução específica e geralmente assumem funções parecidas com as preposições da língua portuguesa.

Outro fato interessante sobre as partículas, é que elas são escritas usando as sílabas do hiragana e também podem mudar o som das sílabas quando elas são usadas como partículas. Por exemplo:

日本行きます。

Os símbolos em destaque possuem a pronúncia diferente do que estamos acostumados. Por serem sílabas com função de partículas,  é lido como “wa” e    possui o som de “e”.

Use hiragana para extensões de palavras

O alfabeto japonês em hiragana também é usado para escrever extensões de palavras, como conjugações verbais, conjugações de adjetivos e muito mais.

O verbo 食べます, por exemplo, muda sua escrita e pronúncia quando está conjugado no passado 食べました ou no presente informal 食べ. Note que o verbo possui um kanji e uma extensão escrita em hiragana para completar o verbo. Muitas outras palavras na língua japonesa são compostas da mesma forma.

Use hiragana quando for mais fácil

Em japonês, muitas palavras são escritas em hiragana por causa da facilidade. Um ótimo exemplo disso é a palavra まだ. É muito mais fácil você encontrar esta palavra em hiragana do que encontrar o seu correspondente em kanji 未だ nos textos em japonês.

Outro fenômeno parecido, ocorre com os números em japonês. É muito mais fácil encontrar números escritos com os algarismos ocidentais (0,1,2,3,4…) do que encontrar seus equivalentes em kanji. O número  em kanji é realmene mais complicado de escrever.

Quando usar katakana nos textos em japonês

O uso do katakana já é bem mais simples. Esse alfabeto japonês é usado para escrever palavras de origem estrangeira, incluindo nomes de pessoas.

Palavras como table e ball são perfeitamente entendidas por muitos japoneses, mas como são empréstimos linguísticos de origem americana, devem ser transcritas usando o alfabeto fonético katakana. Seguindo este pensamento, as palavras e nomes devem ser transcritos de acordo com sua pronúncia e os fonemas existentens na língua japonesa. Assim, table seria transcrito como テーブル e ball seria ボール.

Se desejar saber mais sobre como escrever seu nome em japonês ou nomes estrangeiros, sugiro que leia o artigo “como escrever seu nome em japonês“.

Outro uso interessante do katakana, embora seja bastante incomum, é o destaque. Em casos assim, o katakana é usado como o nosso itálico, se referindo a outra palavra do mesmo texto escrita em hiragana ou kanji.

Quando usar kanjis nos textos em japonês

Os kanjis são palavras que devemos usar o máximo possível, com exceção dos casos descritos nos tópicos sobre o uso do hiragana. O método de escrever palavras em hiragana é apenas um facilitador, as palavras propriamente ditas em japonês são os kanjis.

Por outro lado, usar kanjis nos textos em japonês exige um pouco de cautela, pois usar kanjis desconhecidos ou raros pode gerar uma grande dificuldade de ler o texto em japonês. A recomendação do ministério da educação japonesa, é usar sempre os kanjis apropriados para cada nível de leitor. No caso do público em geral, o melhor caminho é usar os kanjis encontrados na lista do 常用漢字.

Se desejar saber mais sobre os kanjis do Jouyou Kanji, sugiro uma lida no artigo “Os símbolos japoneses do Jouyou Kanji“.

Conclusão

Escrever e ler textos em japonês usando os três alfabetos japoneses não é algo tão complicado como muitos pensam, principalmente se conhecemos a finalidade de cada um deles.

O mais difícil é se acostumar com a estrutura de escrita e pronúncia de cada símbolo japonês, mas isso é algo que se adquire durante a convivência com a língua japonesa.